Pular para o conteúdo principal

Farrell viaja bonito quando o assunto é guitarra

Ontem o Estadão publicou na página D8 do caderno C2+música uma matéria (abaixo) assinada pelo Farrell que despertou a socos e pontapés o meu lado crica ao afirmar que B. B. King e Angus Young usam guitarras Gibson do modelo Les Paul. Na boa, dizer que o Pelé jogou no Internacional de Porto Alegre ou que Boris Karloff foi o protagonista de "Casablanca" teria sido menos pior.


Matéria do Estadão assinada por Farrell sobre Les Paul

B. B. King usou diversos modelos de Gibson e nenhuma delas era Les Paul. Desde o começo da carreira ele sempre teve predileção por guitarras do modelo ES (ES-5 ES-175, ES-330, ES-335 e ES-345), até a própria Gibson lançar em 1980 uma guitarra especialmente para ele, modelo ES-335, de acordo com suas preferências pessoais, que foi batizada de Lucille, a única utilizada por ele há mais de 30 anos. O vínculo que B. B. King tem com sua guitarra Lucille é tão intenso e notório, que ele fez uma música para a guitarra, que, repito, não é, nunca foi e nunca será uma Les Paul!

B. B. King e sua Gibson Lucille

Angus Young, lendário guitarrista da banda australiana AC/DC, fundada em 1973, sempre usou apenas um único modelo de guitarra a vida inteira: uma Gibson SG. Sua imagem é de tal forma associada com a SG que a Gibson lançou há alguns anos no mercado a Angus Young SG Standard.

Angus Young e sua Gibson SG

Para quem "não é do ramo" faço questão de deixar claro que uma Les Paul, uma ES-335 e uma SG são completamente diferentes entre si. É impossível confundi-las e qualquer moleque de 14 anos que compra revistas de rock na banca de jornal está cansado de saber a diferença.


Gibson Les Paul Gibson ES-335 Gibson SG
Gibson Les Paul
Gibson ES-335
Gibson SG


O "estranho" é que tem uma cacetada de guitarristas famosos que usam ou usaram Les Paul (de verdade) e poderiam ter sido mencionados no texto, mas foram solenemente ignorados. Só para citar alguns: Jimmy Page, Frank Zappa, Al Di Meola, Duane Allman, Peter Frampton, Ace Frehley, Billy Gibbons, Peter Green, Randy Rhoads, Pete Townshend... e por aí vai.

Mais adiante a matéria diz que Eddie Van Halen perguntou ao próprio Les Paul, pessoalmente: “Sem as suas invenções, eu não seria capaz de fazer metade das coisas que fiz". Basta entender de português para notar que não existe pergunta alguma nesta frase. Na verdade, o Eddie Van Halen agradeceu Les Paul no palco, durante um show em sua homenagem no Brooklyn Academy Of Music (NY), em 1988, como se pode ver nesse vídeo:



Bom, estou presumindo que o Farrell que assina a matéria seja o mesmo ilustrador que trabalha para o Estadão e, como artista, é excelente. Já como especialista em guitarras digamos que ele deixa um pouco a desejar.


Comentários