Pular para o conteúdo principal

Pérola geográfica em filme de terror

Adoro filmes de terror. Tanto os bons, quanto os ruins. Para ser sincero, tenho uma certa predileção pelos ruins. Especialmente pelos muuuuito ruins. E isso vem de longa data, ainda criança, quando me borrava de medo vendo os filmes B do Vincent Price. Por isso, ontem de madrugada, enquanto a Lá e eu estávamos tentando acalmar a nossa cadela Nina, que tem pavor de trovões (choveu pra caramba em SP!), na falta de outra coisa para assistir deixamos no "Eu Ainda Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado" (I Still Know What You Did Last Summer - 1998), com a Jennifer Love Hewitt, o Freddie Prinze Jr. e, quem diria, o Jack Black fazendo uma ponta da qual ele deve se arrepender horrores. Pelas tantas, há uma cena em que ao concorrer por telefone em um programa de rádio a uma viagem às Bahama's, uma personagem precisa responder à seguinte pergunta: qual a capital do Brasil?



Que os americanos são péssimos em Geografia e só estão preocupados com o próprio umbigo (salvo honrosas exceções) todo mundo já sabia. Mas qual explicação para a Columbia Pictures deixar passar algo desse tipo numa produção de US$ 65 milhões quando uma consulta gratuita na internet resolveria o problema?

E quanto ao filme propriamente dito, apesar de ser muuuuito ruim, não é bom. Fui obrigado a abortar minutos depois da pérola.

Em tempo: oxalá o Rio de Janeiro ainda fosse a capital do Brasil. Nossa política seria menos suja, nossos políticos mais fiscalizados e o dinheiro público melhor empregado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A gota d'água entre Benja e Portuga

Desde 2003 ouço no final da tarde com certa regularidade o programa Estádio 97, da rádio Energia 97 (97.7 FM), que está no ar de 1999. Ideal para quem gosta de futebol e pega o trânsito caótico de São Paulo. Para quem não conhece, o programa tem vários integrantes que mantém uma conversa bem descontraída por duas horas e meia de segunda a sexta-feira (das 18:00 17:30 às 20:30 20:00), cada um defendendo o seu clube do coração. Além da descontração, volta e meia surge algum furo interessante ou uma ótima entrevista, pois quase todos são bem informados e relacionados.
Há alguns meses notei que dois dos integrantes não estavam mais dirigindo a palavra um ao outro durante o programa. No começo achei que era só coincidência, mas depois vi que a coisa era pra valer mesmo: Benja (Benjamin Back) e Portuga (Gilberto Rodriguez) não se falam.  Sempre deu para perceber que o relacionamento entre os dois não era tão bom quanto o mantido por eles com o resto do pessoal, mas não trocarem um único &q…

Recebeu um boleto do Anuário de Marcas e Patentes?

O Cortissa interrompe sua programação leve e descontraída para prestar um serviço de utilidade pública.
Se você recebeu um boleto para "renovação imediata no Anuário de Marcas e Patentes" (sic) como o reproduzido abaixo e está na dúvida se deve pagá-lo, está no lugar certo.
Ao contrário do que alguém na correria do cotidiano pode pensar num primeiro momento, este "Anuário de Marcas e Patentes" não tem nada a ver com o registro da sua marca junto ao INPI e se o boleto não for pago você e sua empresa não sofrerão prejuízo algum. Muito pelo contrário.
O "serviço" oferecido em contrapartida ao pagamento do boleto, na verdade, é a divulgação dos dados da sua empresa em um suposto anuário, que muito provavelmente não existe. E, se existe, certamente não vale a pena desembolsar quase R$ 200,00 para fazer propaganda num veículo absolutamente desconhecido em todo o Brasil. 
Os termos "renovação" e "renovação imediata" são empregados apenas par…

Conselho de amigo sobre verrugas (imagens chocantes)

Há uns dois anos começaram a aparecer umas verrugas na minha mão, mas não dei a menor bola. Afinal, eram minúsculas e a metrossexualidade passou longe da minha pessoa. Nunca fiz as unhas (aliás, a Cristal Nails deve está com saudades de você, Paulão!), limpeza de pele ou outrasboiolagens outros tratamentos estéticos do gênero. Tomo banho quase todos os dias (no inverno, às vezes, - frise-se o às vezes -  eu falto mesmo) e faço a barba com relativa frequência para cumprir convenções sociais e porque quando cresce além de um certo ponto coça pra caramba.

Ocorre que as malditas começaram a aumentar bastante ultimamente e acabei tendo que ir a um dermatologista pela primeira vez na vida, ao 37 anos de idade. Consultei o meu convênio e marquei uma consulta na clínica mais perto de casa. Mulheres esperando para fazer aplicação de botox, adolescentes todos esfolados por peelings e eu lá, com as minhas verrugas. Para tranquilidade e divertimento da Lá, dentre todas as médicas loiras bronzeadas…