Pular para o conteúdo principal

Viajantes do tempo

Em 1941 foi reinaugurada uma ponte na província de British Columbia, no oeste do Canadá, já que a original havia sido destruída durante uma enchente no ano anterior. Houve uma cerimônia que reuniu algumas centenas de pessoas, a imprensa local compareceu ao evento e algumas fotos foram tiradas, dentre elas a exibida abaixo, que faz parte do acervo do Virtual Museum of Canada. Repare bem nela e veja se consegue notar algo de estranho.



Ao contrário do costume da época, o rapaz destacado na imagem acima não estava usando terno nem chapéu, itens presentes no vestuário até de pessoas humildes, especialmente numa ocasião especial como esta. Também é possível notar que ele tem a barba por fazer.

Ainda em relação à roupa, note que ele não usa camisa social, mas uma camiseta com estampa (seria um "M"?) e uma espécie de jaqueta de lã ou algodão com ziper. Ou seja: ele esta trajado com roupas que hoje em dia passariam absolutamente despercebidas, mas que eram bastante incomuns para o ano de 1941. Se considerarmos, ainda, que a região de Gold Bridge, onde a foto foi tirada, é até os dias de hoje completamente afastada de qualquer centro urbano, a presença de um cara tão cool fica mais encafifante.

Nas mãos ele carrega uma máquina fotográfica que parece ser bem mais moderna do que as comercializadas das décadas de 1930/1940. O modelo de óculos escuros que ele usava também é muito incomum para a época, isso sem considerar que este tipo de acessório era usado quase que exclusivamente por artistas de Hollywood e aviadores, só vindo a se popularizar nos anos 1950.

Para completar, repare que no momento da foto uma moça estava claramente olhando para ele ao invés de acompanhar o evento, talvez tão intrigada quanto nós agora.

Outro caso de "viajante do tempo" o de uma senhora que durante as filmagens do filme "O Circo", de Charles Chaplin, lançado em 1928, aparece segurando um aparelho colado na orelha e falando enquanto anda, muito embora não houvesse ninguém ao lado dela. Veja a cena e tire (ou não) suas próprias conclusões.

Comentários