Pular para o conteúdo principal

Grandes Pensamentos Filosóficos 10

1. Desde 1985 o Brasil adota o horário de verão em boa parte do país. Será possível que até hoje, depois de 25 anos ininterruptos desta prática, cada vez que ele entra em vigor, a mídia tem que fazer reportagens sobre "como o horário de verão afeta negativamente o nosso relógio biológico"?! Já tá ficando mais manjado do que neguinho anunciar que o preço do bacalhau vai subir na Semana Santa... E por conta desse festival de obviedades, outro dia ouvi no rádio uma entrevista sobre esse assunto com um médico. O entrevistador perguntou ao médico quais sintomas eram mais comuns entre as pessoas que sofrem para se adaptar ao horário de verão? O médico não teve dúvida e respondeu na lata, sem rodeios: sono. Mentira...

2. Outra coisa que me espanta, em proporções bem maiores, é o fato de "gente boa" ainda continuar defendendo o governo Lula e a eleição de Dilma com unhas e dentes. Na terça, se não me engano, ouvi na CBN Dalmo Dallari e Hélio Bicudo defendendo ao vivo as candidaturas de Dilma e Serra, respectivamete. Bicudo, um dos fundadores do PT, disse tudo o que qualquer pessoa que sabe ler e escrever já sabe há tempos: que a estabilidade brasileira é fruto de conjunturas da economia mundial e não de  uma receita mágica do PT (que aliás, no campo econômico apenas manteve o que FHC vinha fazendo); que o verdadeiro propósito por trás do assistencialismo lulista é angariar votos para se perpetuar no poder; que o este governo privilegia patotas de amigos e não tem pudor em ser corrupto ou em infringir as leis; que é um perigo enorme para a democracia a falta de alternância no poder. Já Dallari se restringiu a dizer que viaja bastante pelo país e que viu a melhora das condições de vida da "pessoa humana", atribuindo essa evolução exclusivamente às "políticas sociais" (leia-se, distribuição de dinheiro) do governo Lula. E ficou nisso. Tive a oportunidade de conhecer Dalmo Dallari pessoalmente, na casa dele. É um sujeito admirável, tanto no trato pessoal quanto por sua cultura geral e sobretudo jurídica. Todos que foram seus alunos dizem o mesmo. O que faz uma pessoa culta e bem intencionada fechar os olhos para tudo o que aconteceu em matéria de corrupção, tráfico de influências, mensalão, quebras de sigilo, dólares da cueca, uso da máquina estatal e tantos outros absurdos colecionados nos últimos anos?! Juro que não consigo entender.

3. Vou votar no Serra, mas sem convicção nenhuma. Somente a de que 12 anos de PT podem se transformar em 24 facilmente e se isso acontecer a chance de nos "cubanizarmos" é enorme.  Há uma ala do PT doidinha para controlar a mídia. O "companheiro" Franklin Martins está estudando como fazer isso há tempos e  o programa de governo da Dilma que foi entregue ao TSE "por engano" previa uma espécie de censura à imprensa. Por outro lado, o Estado se endividou absurdamente nos últimos 8 anos. As contas não fecham de jeito nenhum e só mesmo peripécias contábeis como a por trás da recente capitalização da Petrobrás podem maquiar  a realidade. Mais PT significará a médio prazo um Estado empobrecido e com cerceamento das liberdades individuais, enquanto os amigos "do cara" vão se locupletar cada vez mais. O sonho dourado de Zé Dirceu e companhia.  O duro é que o PSDB "à nível de oposição" é um fiasco sem tamanho. De marketing, então, nem se fala. Só um milagre mesmo nos salvará.

4. Conversando recentemente com um médico cirurgião amigo nosso, bastante experiente, descobri porque 90% dos políticos vão se tratar no Hospital Sírio Libanês: eles não pagam absolutamente nada. O hospital fatura com a mídia que ganha nos veículos de comunicação a cada boletim médico divulgado, a cada nota publicada nos jornais etc. Não é bacana saber que tem gente que vende todos os imóveis da família para arcar com as despesas de tratamento de um parente  doente enquanto políticos da estirpe e com as contas bancárias de José Sarney, Paulo Maluf, José de Alencar, Romeu Tuma, entre outros, recebem tratamento VIP e não precisam colocar a mão no bolso?! Meu pai, que não era político, pagou todas as diárias de UTI e cada esparadrapo gasto durante seus vários dias de internação até a sua morte. E eu, trouxa que sou, fiquei durante quase 2 anos doando sangue e plaquetas para o banco de sangue desse hospital, que possivelmente está circulando nas veias de pessoas como as citadas acima. Lembrando que o Sírio é considerado instituição filantrópica, o que lhe garante o privilégio de não recolher uma batelada de impostos.

Comentários