Pular para o conteúdo principal

Flagrante de corte ilegal de árvore

Acordamos hoje, pleno sábado, às 7 e 15 da madrugada com um barulho vindo da rua: TOC-TOC-TOC... Levantei para ver do que se tratava e flagrei um dos nossos vizinhos com a ajuda do "guardinha" da rua (que naquele momento obviamente não estava guardando nada) derrubando "na surdina" uma árvore perfeitamente saudável, cheia de folhas verdes, em frente à casa dele.

Infelizmente não deu tempo de tentar salvá-la. Tomei ciência do que estava acontecendo no exato instante em que ela despencou no meio da rua, que não estava interditada, é claro. Rapidamente o "guardinha" o ajudou a cortar a vítima em troncos menores e antes das 8:30 quase já não havia mais vestígios da pobre coitada.


Por certo nosso vizinho, ou melhor, a empregada dele, estava cansada de varrer a calçada todo dia e o patrão achou mais fácil cortar o "mal" pela raiz, literalmente. É chato varrer a calçada? É, sem dúvida alguma. Tenho experiência no assunto, pois volta e meia sobra para mim tal tarefa aqui em casa, cuja frente é bem grande. Mas já pensou se todo mundo que tem uma árvore na porta de casa resolvesse derrubá-la? Não sobraria verde nenhum nessa cidade, que já é tão cinzenta.


E eu aposto que se forem perguntar para esse senhor se ele é contra o desmatamento, o aquecimento global e o raio que o parta, muito provavelmente ele responderá enfaticamente que sim. Mas, como a grande maioria das pessoas, não encara tais assuntos como sendo um problema dele. O que interessa para ele é que a empregada não precise mais varrer a calçada todos os dias. E provavelmente ele tem a certeza absoluta de que não fez nada demais.

E aí que está um dos grandes problemas da nossa sociedade hipócrita e irresponsável, acostumada a transferir para os outros seus próprios problemas. A mesma pessoa que sofre com as enchentes, joga lixo indiscriminadamente pelo vidro do ônibus, no córrego, na sarjeta, no terreno baldio. O mesmo camarada que se diz preocupado com a insegurança, assaltos e seqüestros, compra maconha de traficante. Quem se irrita com carros estacionados em fila dupla, faz exatamente a mesma coisa quando não encontra vaga para estacionar na porta de onde vai. E no futebol, o torcedor costuma tachar o árbitro de ladrão quando prejudica o seu time, mas quando o prejudicado é o adversário, se cala ou dá risada.

Enquanto esta cultura extremamente individualista prevalecer no Brasil, com cada um cuidando do "seu" e deixando que o resto se exploda, vamos continuar sendo uma eterna República das dos Bananas.

Em tempo: denunciei a derrubada da árvore à subprefeitura "competente".

Comentários