Pular para o conteúdo principal

Corinthians 2 x 1 Racing (URU)

copa_santander_libertadores-1
Mal começou a Libertadores para o Corinthians e parecia que o velho filme de sempre se  repetiria: aos 55 segundos, gol do Racing numa jogada que nasceu de bola parada, com falha de Chicão, quando ainda só se via a fumaça dos fogos pela TV. Aliás, cá entre nós, que imbecilidade soltar aquele tanto de fogos com o jogo já em andamento.

Mas o desespero absoluto durou pouco, pois ao 10 minutos, depois de receber passe de Ronaldo, Tcheco enfiou uma bola açucarada de letra para Elias marcar o gol de empate.

A expectativa, então, era de que o Corinthians tomasse conta do jogo e virasse rapidamente o placar. Mas não foi o que ocorreu. Apesar de jogar fora de casa, o fraquíssimo Racing ditou o ritmo de jogo, embora não oferecesse perigo algum, apenas esboçando alguns contra-ataques de vez em quando. O Corinthians tentava com arremates de fora da área e quase marcou com Ronaldo chutando cruzado no final do 1º tempo.

Mano mexeu bem no vestiário ao trocar Defederico, que não tinha visto a cor da bola, por Souza, quem diria. O centroavante ajudou a mudar a cara do jogo no 2º tempo e teve papel importante na vitória alvinegra. O lance que originou o gol da virada nasceu outra vez de um passe de Ronaldo, desta vez para Souza tocar por baixo das pernas do zagueiro uruguaio servindo Elias, que entrou batendo.

Por ter marcado os dois gols, cavado a justa expulsão do meio-campista Flores, e se desdobrado em campo marcando e apoiando o tempo todo, Elias foi, sem dúvida, o nome do jogo. Ronaldo esteve bem, jogou os 90 minutos, participou das jogadas que originaram os gols, obrigou pelo menos duas vezes o goleiro Contreras a fazer boas defesas e até ensaiou um arranque de seus bons tempos de Barcelona, interrompido por uma falta.

Já o restante do time teve uma atuação sofrível e alguns jogadores ditos experientes mostraram bastante nervosismo. Tcheco reclamou exageradamente da arbitragem desde o início do jogo. Roberto Carlos deu um carrinho desnecessário na linha de fundo e levou um amarelo de graça. O próprio Ronaldo também mostrou uma boa dose de irresponsabilidade ao passar uma rasteira no seu marcador no já tradicional empurra-empurra dentro da área que antecede a cobrança de escanteio. Também levou amarelo a toa. William e Chicão pareciam estar fora de órbita até uns 20 minutos do 1º tempo e contaram com a sorte do adversário ter vindo ao Brasil apenas para se defender.

Enfim, como diria o sábio, melhor ganhar do que perder. Mas tomando por base esta partida, muita coisa terá que melhorar para o Timão levantar o caneco da Libertadores em 2010. Oxalá melhore.

Ficha técnica (Fonte: UOL)

Corinthians
Felipe; Alessandro (Jucilei), Chicão, William e Roberto Carlos; Ralf, Elias, Tcheco e Jorge Henrique (Dentinho); Defederico (Souza) e Ronaldo
Técnico: Mano Menezes

Racing (URU)
Contreras; Brasesco, Hernández, Pallás e Tejera; Vega, Ostolaza, Flores e Matías Mirabaje (Scotti); Quiñónes (Barrientos) e Cauteruccio (Cuello)
Técnico: Juan José Verzeri

Data: 24/02/2010, quarta-feira
 Local: estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Árbitro: Raúl Orosco (BOL)
Auxiliares: Jorge Calderón (BOL) e Juan Arroyo (BOL)
Público: 31.035 pagantes (total de 32.166)
Renda: R$ 2.181.742,00
Cartões amarelos: Jorge Henrique, Ronaldo, Roberto Carlos (COR); Quiñónez, Pallás, Vega (RAC)
Cartão vermelho: Flores (RAC)
Gols: Cauteruccio, a 1min, e Elias, aos 10min do primeiro tempo; Elias, aos 25min do segundo tempo

A classificação do Grupo 1, após a primeira, rodada ficou assim:
CLUBE PG J V E D GP GC SG %
1 Corinthians (BRA) 3 1 1 0 0 2 1 1 100
2 Cerro Porteño (PAR) 1 1 0 1 0 1 1 0 33
3 Independiente (COL) 1 1 0 1 0 1 1 0 33
4 Racing (URU) 0 1 0 0 1 1 2 -1 0

Confrontos da próxima rodada
09/03: Racing (URU) x Cerro Porteño (PAR)
10/03: Independiente (COL) X Corinthians (BRA)

Comentários