Pular para o conteúdo principal

Palmeiras e Corinthians fazem leilão beneficente

Não tenho a menor simpatia por Luiz Gonzaga Belluzzo, presidente do Palmeiras, como alguns leitores do blog já devem ter percebido, e muito menos por Andrés Sanches, atual mandatário do Corinthians e durante anos a fio fiel escudeiro de Dualib. Mas tiro o chapéu para ambos pela iniciativa de unir as duas equipes em prol de uma boa causa: ajudar as vítimas das enchentes em São Luis do Paraitinga através de um leilão de peças que qualquer torcedor, seja ele palmeirense ou corinthiano, adoraria ter.

Os produtos a serem leiloados são: uma camisa do Corinthians autografada pelos craques Rivellino e Ademir da Guia; uma camisa Corinthians autografada pelos craques Ronaldo e Marcos; uma camisa Palmeiras autografada pelos craques Rivellino e Ademir da Guia; uma camisa Palmeiras autografada pelos craques Ronaldo e Marcos; e uma bola Topper Paulistão 2010 autografada pelos quatro craques do passado e do presente mencionados. Para participar, basta acessar o site derby.corinthians.com.br ou derby.palmeiras.com.br, se cadastrar e fazer o lance pelo produto desejado até o meio-dia de 1º de fevereiro.

Além da ação em si, tenho fé de que as diretorias se unirem mostrando publicamente civilidade, educação e respeito mútuo possa ajudar a tirar um pouco da ignorância que toma conta das torcidas organizadas de ambos os times. Eu, por exemplo, não vou ao estádio assistir a um clássico desde a final do Paulistão de 1993 (ainda era "ão"), de triste lembrança para nós corinthianos. Fui com um amigo palmeirense (o Gordo) nos dois jogos e sentamos juntos na numerada do Morumbi, em meio a torcedores dos dois clubes, sem nenhum problema

Mas de lá para cá a coisa mudou muito e quem vai a um clássico hoje em dia não sabe se volta vivo para casa. A exemplo de muita gente, passei de assíduo freqüentador do Pacaembu nos anos 1980 a "torcedor de sofá", exclusivamente por causa da violência das torcidas organizadas. Só consigo ajudar meu time do coração assinando o pay-per-view e comprando produtos oficiais, embora evite usá-los na rua quando estou com minha família, pois o grau de incivilidade é tamanho que vestir a camisa do time pelo qual torcemos é ofensa gravíssima e injustificada na cabeça dessa gente doente. O Maurão, por exemplo, foi covardemente agredido por torcedores do Corinthians em plena Av. Paulista simplesmente porque estava usando uma camisa verde. E não faltam histórias desse tipo, geralmente com final bem pior.

Enfim, o bom exemplo tem que vir de algum lugar e nada melhor que seja de cima. Gostaria muito de um dia poder levar meu filho ao estádio para ver um Corinthians e Palmeiras, principalmente, e acho que o caminho a ser seguido para que um dia isso seja possível começa exatamente com iniciativas desse tipo.  Infelizmente, tudo indica que esse dia vai demorar para chegar, pois se nem eu, com 37 anos nas costas, 1,94m e 95kg tenho coragem de ir a um clássico, imagine então levar uma criança...

Crédito das fotos: Fábio Menotti/Divulgação

Comentários