Pular para o conteúdo principal

Recorte e colagem fail

Minha sogra, que não se perca pelo nome, é a boa alma com quem deixamos nosso filho várias manhãs durante a semana para podermos trabalhar. Outro dia, numa dessas manhãs, ele disse à avó que queria fazer “recorte e colagem”, provavelmente para matar saudades da escola depois de dois longos dias de férias.

Tesoura sem ponta, OK. Cola bastão, não tinha, mas usar durex foi até mais divertido por ser novidade. O problema era encontrar alguma coisa que pudesse ser recortada e colada... Por azar, justo naquele dia não tinha vindo nenhum encarte colorido no jornal com propaganda de brinquedos, tão comum nessa época do ano. Então, a avó deu uma folheada no jornal propriamente dito e achou uma página colorida cheia de desenhos. Era uma propaganda qualquer da qual ninguém sentiria falta, ideal para distrair o netinho de 4 anos, que logo começou a recortá-la.

Porém, ajudando o moleque entre uma tesourada e outra, a avó começou a achar alguns dos desenhos um pouco estranhos e, momentos depois, se deu conta de que a idéia tinha sido péssima. Eis algumas das figuras objeto do “recorte e colagem” sumariamente interrompido antes que a inevitável pergunta, “Vó, o que eles estão fazendo?” fosse formulada:



A propaganda é do São Paulo Fashion Week e ainda está em circulação. Fiquei em dúvida em relação à primeira de cima, à esquerda: seria uma execução ou um gang-bang gay?

Comentários