Pular para o conteúdo principal

Para entrar no espírito natalino

É Natal, tempo de paz e compreensão entre os homens de boa vontade. E eu, para poder passar essa data em harmonia com a minha família, sintonizado com as melhores vibrações emanadas ao redor do mundo por bilhões pessoas, preciso exorcizar todos os sentimentos ruins que povoaram a minha mente ao longo do ano. Portanto, divido com vocês uma lista das 10 coisas que eu mais odiei em 2009, quase como uma forma de confissão. Espero, assim, estar pronto para receber o verdadeiro espírito natalino.

1. Motorista "galo cego" que fica moscando na nossa frente um tempão e acaba passando no sinal amarelo, enquanto somos obrigados a parar. Parece até que o filho da mãe de uma hora para outra saiu do coma.

2. Varredor de rua que nem sequer passa na frente da nossa casa o ano inteiro e vem pedir caixinha de Natal com a maior cara de pau. Dá vontade de descobrir em que fim de mundo o cara mora, pegar uma vassoura e ir lá pedir caixinha também!

3. Embalagens, principalmente de alimentos, que são tão eficientes que nem o MacGywer conseguiria abri-las. Uma vez, sem brincadeira, tive que pegar um abridor de latas e um facão de churrasco para abrir um pote de sorvete da La Basque. Eu queria que o infeliz que desenvolveu essas porcarias ficasse numa ilha deserta só com isso para comer.

4. Neguinho afrodescendentezinho que fica falando nesses Nextel em lugares públicos como se a vida dele fosse a coisa mais interessante do mundo. Quer aparecer? Entra no Big Brother, joga uma criança pela janela, mata os pais a pauladas, MAS NÃO ME ENCHA O SACO!

5. Gente que solta rojão por qualquer motivo. O time do cara fez um gol contra o XV de Piracicaba, vai lá o desgraçado soltar rojão. Subiu da Segundona, vai lá o FDP soltar uma dúzia de rojões. Natal? Rojão. Ano novo? Rojão. O filho mongolóide entrou em Educação Física na Unimelda? Dá-lhe rojão... Tomara que morra surdo, mudo e cego um energúmeno desses!

6. Vagabundo que embica na porta de casa e fica buzinando desesperadamente para a empregada ou outro infeliz qualquer vir abrir o portão. Merece ser assaltado 7 vezes por semana e morrer surdo também.

7. Carrinho de super-mercado que anda torto. Os caras faturam "40 bilhões" por mês às nossas custas e não gastam 1 centavo na manutenção do droga do carrinho que anda para qualquer lado menos pra frente! O dia em que eu derrubar o corredor de bebidas importadas inteiro por conta de um carrinho desses não vou pagar um centavo. E ainda vou pedir indenização por danos morais.

8. Brinquedo de criança que, apesar de custar caríssimo, vem completamente desmontado e você precisa ser formado no ITA com pós-doutorado no MIT para fazer a bagaça funcionar. Tudo isso com a "ajuda" de um moleque desesperado no seu cangote. Até os adesivos você tem que descobrir onde vão e colar um por um. Pai e mãe deveria ter o vínculo empregatício reconhecido pela Justiça do Trabalho com os fabricantes de brinquedo...

9. O filho duma égua que inventou de dublar as séries da TV fechada. Não bastasse o caminhão de propagandas repetidas a cada intervalo e o fato de passarem aqui o que nos EUA foi ao ar há em 1649, a gente tem que sofrer com traduções sem pé nem cabeça e dublagens dignas do Chaves. Quem conseguir assisir o seriado Lie to Me, por exemplo, é um herói ou tem um nível de tolerância monstruosamente gigantesco.

10. Mostrador de combustível dos carros atuais, que levam uma semana para sair do "cheio" e quinze minutos para ir de 1/4 para a reserva. Se bobear já tem carro que tira a meleca do nariz do motorista automaticamente quando o sinal fecha, mas os engenheiros alemães, japoneses, italiano e franceses não conseguem fazer uma droga de mostrador de combustível que seja confiável.

Ufa! Já me sinto melhor, pelo menos até o vizinho filho duma porca sebosa começar a soltar fogos...

Feliz Natal a todos!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A gota d'água entre Benja e Portuga

Desde 2003 ouço no final da tarde com certa regularidade o programa Estádio 97, da rádio Energia 97 (97.7 FM), que está no ar de 1999. Ideal para quem gosta de futebol e pega o trânsito caótico de São Paulo. Para quem não conhece, o programa tem vários integrantes que mantém uma conversa bem descontraída por duas horas e meia de segunda a sexta-feira (das 18:00 17:30 às 20:30 20:00), cada um defendendo o seu clube do coração. Além da descontração, volta e meia surge algum furo interessante ou uma ótima entrevista, pois quase todos são bem informados e relacionados.
Há alguns meses notei que dois dos integrantes não estavam mais dirigindo a palavra um ao outro durante o programa. No começo achei que era só coincidência, mas depois vi que a coisa era pra valer mesmo: Benja (Benjamin Back) e Portuga (Gilberto Rodriguez) não se falam.  Sempre deu para perceber que o relacionamento entre os dois não era tão bom quanto o mantido por eles com o resto do pessoal, mas não trocarem um único &q…

Recebeu um boleto do Anuário de Marcas e Patentes?

O Cortissa interrompe sua programação leve e descontraída para prestar um serviço de utilidade pública.
Se você recebeu um boleto para "renovação imediata no Anuário de Marcas e Patentes" (sic) como o reproduzido abaixo e está na dúvida se deve pagá-lo, está no lugar certo.
Ao contrário do que alguém na correria do cotidiano pode pensar num primeiro momento, este "Anuário de Marcas e Patentes" não tem nada a ver com o registro da sua marca junto ao INPI e se o boleto não for pago você e sua empresa não sofrerão prejuízo algum. Muito pelo contrário.
O "serviço" oferecido em contrapartida ao pagamento do boleto, na verdade, é a divulgação dos dados da sua empresa em um suposto anuário, que muito provavelmente não existe. E, se existe, certamente não vale a pena desembolsar quase R$ 200,00 para fazer propaganda num veículo absolutamente desconhecido em todo o Brasil. 
Os termos "renovação" e "renovação imediata" são empregados apenas par…

Conselho de amigo sobre verrugas (imagens chocantes)

Há uns dois anos começaram a aparecer umas verrugas na minha mão, mas não dei a menor bola. Afinal, eram minúsculas e a metrossexualidade passou longe da minha pessoa. Nunca fiz as unhas (aliás, a Cristal Nails deve está com saudades de você, Paulão!), limpeza de pele ou outrasboiolagens outros tratamentos estéticos do gênero. Tomo banho quase todos os dias (no inverno, às vezes, - frise-se o às vezes -  eu falto mesmo) e faço a barba com relativa frequência para cumprir convenções sociais e porque quando cresce além de um certo ponto coça pra caramba.

Ocorre que as malditas começaram a aumentar bastante ultimamente e acabei tendo que ir a um dermatologista pela primeira vez na vida, ao 37 anos de idade. Consultei o meu convênio e marquei uma consulta na clínica mais perto de casa. Mulheres esperando para fazer aplicação de botox, adolescentes todos esfolados por peelings e eu lá, com as minhas verrugas. Para tranquilidade e divertimento da Lá, dentre todas as médicas loiras bronzeadas…