Pular para o conteúdo principal

Meninos, eu vi! AC/DC

Como esperado, ótimo o show de ontem. Choveu forte quando estávamos entrando no estádio (bendita capinha!), mas depois só um pinga-pinga que não atrapalhou em nada. Na verdade, até ajudou a refrescar o "calor humano": estima-se que o público foi de 65 mil pessoas! Apesar de termos chegado relativamente em cima da hora, conseguimos ficar bem posicionados. Aliás, se o nosso taxista não fosse parente distante do MacGyver, provavelmente teríamos perdido o começo do show.

A abertura foi do Nasi, que tocou um repertório inteligente, para esquentar o público, com covers do Clash, Raul Seixas, Iggy Pop, entre outros. Dele mesmo, só duas músicas, salvo engano. A atração à parte foi a participação do Andreas Kisser do Sepultura na guitarra.


Da esquerda p/ a direita: Doneux, Breno, eu e Alê antes de começar o show.


O show do AC/DC propriamente dito começou na hora marcada e foi uma paulada do início ao fim. O Angus Young, talvez para justificar o sobrenome, ainda parece que tem 15 anos de idade e continua fazendo toda aquela presepada divertida de sempre: strip-tease, convulsões no chão, correria para lá e para cá, caretas, chifrinhos etc. Mas, acima de tudo, continua tocando o fino. Brian Johnson (por melhor que seja, eterno tapa buraco de Bon Scott), é praticamente o mesmo de Back in Black: eficiência e potência, além de ser uma figuraça. E a "cozinha" dos caras, com Malcolm Young (guitarra base), Cliff Williams (baixo) e Phil Rudd (bateria), é um porto seguro.

O set list foi ótimo (ver abaixo - enviado pelo Alê - fonte: G1), mas decepcionou por não incluir "Jailbrake".

1. "Rock'n roll train" - de "Black ice" (2008)
2. "Hell ain't a bad place to Be"- de "Let there be rock" (1977)
3. "Back in black" - de "Back in black" (1980)
4. "Big Jack" - de "Black ice" (2008)
5. "Dirty deeds done dirt cheap" - de "Dirty deeds done dirt cheap" (1976)
6. "Shot down in flames" - de "Highway to hell" (1979)
7. "Thunderstruck" - de "The razor's edge" (1990)
8. "Black ice" - de "Black ice" (2008)
9. "The Jack" - de "T.N.T." (1975)
10. "Hells bells" - de "Back in black" (1980)
11. "Shoot to thrill" - de "Back in black" (1980)
12. "War machine" - de "Black ice" (2008)
13. "Dog eat dog" - de "Let there be rock" (1977)
14. "You shook me all night long" - de "Back in black" (1980)
15. "T.N.T." - de "T.N.T." (1975)
16. "Whole lotta Rosie" - de "Let there be rock" (1977)
17. "Let there be rock" - de "Let there be rock" (1977)

BIS

18. "Highway to hell" - de "Highway to hell" (1979)
19. "For those about to rock (We salute you)" - de "For those about to
rock" (1981)


Abaixo, dois vídeos curtinhos, só para ter uma idéia de como foi o show. As imagens de "Shoot to Thrill" são do telão, obviamente.






De se lamentar, somente, o desrespeito, a falta de organização e a irresponsabilidade dos organizadores do evento em relação à saída, depois do show: todo mundo que estava na pista (no mínimo umas 35 mil pessoas) só podia sair por um único portão. Se alguém tropeça ou passa mal, é tragédia na certa. O pior é que no show do Iron Maiden em março aconteceu a mesmíssima coisa.

Por fim, nada a ver especificamente com o show: dá dó de quem é proprietário de imóvel nas imediações do Morumbi, salvo raríssimas exceções (tem gente que mora lá e merece isso e muito mais).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A gota d'água entre Benja e Portuga

Desde 2003 ouço no final da tarde com certa regularidade o programa Estádio 97, da rádio Energia 97 (97.7 FM), que está no ar de 1999. Ideal para quem gosta de futebol e pega o trânsito caótico de São Paulo. Para quem não conhece, o programa tem vários integrantes que mantém uma conversa bem descontraída por duas horas e meia de segunda a sexta-feira (das 18:00 17:30 às 20:30 20:00), cada um defendendo o seu clube do coração. Além da descontração, volta e meia surge algum furo interessante ou uma ótima entrevista, pois quase todos são bem informados e relacionados.
Há alguns meses notei que dois dos integrantes não estavam mais dirigindo a palavra um ao outro durante o programa. No começo achei que era só coincidência, mas depois vi que a coisa era pra valer mesmo: Benja (Benjamin Back) e Portuga (Gilberto Rodriguez) não se falam.  Sempre deu para perceber que o relacionamento entre os dois não era tão bom quanto o mantido por eles com o resto do pessoal, mas não trocarem um único &q…

Recebeu um boleto do Anuário de Marcas e Patentes?

O Cortissa interrompe sua programação leve e descontraída para prestar um serviço de utilidade pública.
Se você recebeu um boleto para "renovação imediata no Anuário de Marcas e Patentes" (sic) como o reproduzido abaixo e está na dúvida se deve pagá-lo, está no lugar certo.
Ao contrário do que alguém na correria do cotidiano pode pensar num primeiro momento, este "Anuário de Marcas e Patentes" não tem nada a ver com o registro da sua marca junto ao INPI e se o boleto não for pago você e sua empresa não sofrerão prejuízo algum. Muito pelo contrário.
O "serviço" oferecido em contrapartida ao pagamento do boleto, na verdade, é a divulgação dos dados da sua empresa em um suposto anuário, que muito provavelmente não existe. E, se existe, certamente não vale a pena desembolsar quase R$ 200,00 para fazer propaganda num veículo absolutamente desconhecido em todo o Brasil. 
Os termos "renovação" e "renovação imediata" são empregados apenas par…

Conselho de amigo sobre verrugas (imagens chocantes)

Há uns dois anos começaram a aparecer umas verrugas na minha mão, mas não dei a menor bola. Afinal, eram minúsculas e a metrossexualidade passou longe da minha pessoa. Nunca fiz as unhas (aliás, a Cristal Nails deve está com saudades de você, Paulão!), limpeza de pele ou outrasboiolagens outros tratamentos estéticos do gênero. Tomo banho quase todos os dias (no inverno, às vezes, - frise-se o às vezes -  eu falto mesmo) e faço a barba com relativa frequência para cumprir convenções sociais e porque quando cresce além de um certo ponto coça pra caramba.

Ocorre que as malditas começaram a aumentar bastante ultimamente e acabei tendo que ir a um dermatologista pela primeira vez na vida, ao 37 anos de idade. Consultei o meu convênio e marquei uma consulta na clínica mais perto de casa. Mulheres esperando para fazer aplicação de botox, adolescentes todos esfolados por peelings e eu lá, com as minhas verrugas. Para tranquilidade e divertimento da Lá, dentre todas as médicas loiras bronzeadas…