Pular para o conteúdo principal

Reforma ortográfica mal feita

Que essa reforma ortográfica é uma imbecilidade sem precedentes, todo mundo já sabia. Afinal, quem tem problemas para compreender o sentido da frase "E então, o tecto da casa desabou.", por exemplo, por causa da mísera presença do "c"  em "tecto", certamente tem outros vários problemas que ultrapassam as fronteiras da Língua Portuguesa.

Por outro lado, se um português disser a um brasileiro "Estamos feitos ao bife!" o segundo provavelmente não compreenderá absolutamente nada, muito embora conheça o significado de todas as palavras. Esta "falha na comunicação" nenhuma reforma conseguirá jamais reparar porque, graças a Deus (força de expressão), a cultura e os costumes de cada povo sempre serão diferentes, ainda quem falem a mesma língua. A propósito, para quem não sabia, "Estamos feitos aos bifes" quer dizer algo como "Estamos perdidos!" ou "Estamos fritos!" (bifes, fritos, capicce?).

Mas a minha revolta tardia acerca da maldita reforma ortográfica se deu porque fui gentilmente avisado por um anônimo que, ao contrário do que eu supunha,  agora existe a palvra "benfeito" no nosso vocabulário! Não é ótimo?!  A palavra "cunhado", por sua vez, não foi abolida... vai entender!

Enfim, se alguém conseguir me explicar que vantagem maria leva com essa mudança, ganha uma maria mole.

Comentários